Contexto

 

16/08/2004 - 09:08 | Fonte: STJ

Projetos de modernização do Judiciário serão examinados na próxima semana

 
 

Nesta segunda-feira, 16, o novo diretor-geral do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Alcides Diniz, fará uma avaliação do processo de modernização do Judiciário em andamento na gestão do presidente Edson Vidigal. Junto com o recém-empossado secretário de Tecnologia da Informação e das Comunicações, Luiz Melre, o diretor-geral vai verificar a possibilidade de execução técnica e orçamentária dos projetos definidos para implementação. O resultado da análise será levado no dia seguinte, 17, ao presidente do STJ e do Conselho da Justiça Federal (CJF), ministro Edson Vidigal, que vai definir as diretrizes quanto ao prosseguimento das propostas trabalhadas até o momento ou a uma possível correção de rumos.

"Vamos concentrar esforços para a implementação dos projetos e-jud e e-jus, de modernização do Judiciário e, para isso, estamos propondo ao presidente Vidigal um convênio de cooperação com o CJF, de modo a viabilizar o trabalho conjunto dos projetos em desenvolvimento", afirma Alcides Diniz. Na quarta-feira, 18, será verificado, junto ao secretário de Modernização do Judiciário do STJ, José Dion de Melo Teles, se os projetos definidos pelo presidente Vidigal para imediata implementação poderão ser executados com os recursos da Casa, ou se haverá necessidade de contratação de empresas.

Segundo o diretor-geral, para a execução dos projetos prioritários, certificação digital e de interligação dos tribunais, já estão garantidos os recursos do STJ no orçamento da União, aprovados pela Corte Especial, no último dia 9.

Alcides Diniz anuncia ainda que o STJ vai trabalhar com a previsão inicial do cronograma de implementação da jus-cibernética apresentado pela equipe de Modernização do Judiciário. "Vamos precisar ampliar os recursos por meio de emendas parlamentares no Congresso. Se conseguirmos mais recursos do orçamento da União, ou mesmo junto a organismos internacionais, como o BID e o PNUD, poderemos ultrapassar a expectativa da meta proposta". A previsão inicial para implementação do programa e-jus e e-jud é de cinco anos.

Angélica Torres

 
 
0 Comentários
 


Filtro de Notícias

 





Busca nas Notícias