Nacional

 

31/10/2013 - 10:20 | Fonte: TJAL

PM acusado de duplo homicídio é mantido preso

 
 

Vítimas seriam integrantes da quadrilha de jovens de classe média investigada na “Operação Playboy”

O desembargador João Luiz Azevedo Lessa, integrante da Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Alagoas, negou o pedido de concessão de liberdade ao sargento da Polícia Militar (PM) Joseildo Ferreira Cavalcante, acusado no duplo homicídio que vitimou Silvio Bismarck Ângelo e Edivaldo Polido Lins Neto. As vítimas seriam integrantes da quadrilha de jovens de classe média investigada na “Operação Playboy”. Joseildo está sob custódia no Presídio Baldomero Cavalcante, desde julho de 2013.

De acordo com o processo, na chamada área nobre de Maceió, a quadrilha mantinha as vítimas no próprio carro, enquanto usava seus cartões bancários para fazer saques eletrônicos ou compras em lojas de grife. Os corpos foram encontrados num canavial na área rural do município de Satuba, Região Metropolitana de Maceió.

O advogado de defesa alegou que seria impossível a participação do PM Joseildo no homicídio, pois, no momento do crime, o réu se encontraria trabalhando. Ressaltou ainda que foi concedido habeas corpus preventivo em favor do corréu Guilherme Benício Vilar de Bulhões Barros, um dos acusados nos crimes, devendo o benefício ser estendido a Joseildo, nos termos dispostos no art. 580 do Código de Processo Penal, sendo as prisões preventivas semelhantes.

Em análise aos autos, o relator do processo, desembargador João Luiz Azevedo, constatou que já houve pedido de soltura do paciente no início de outubro deste ano. Na ocasião, foi denegada a liminar, por não ter sido identificada a semelhança facto-processual com o corréu Guilherme Bulhões, já que, neste caso, não houve demonstração de sua periculosidade.

Matéria referente ao Habeas Corpus n.º 0801840-46.2013.8.02.0900

 

 
 
0 Comentários
 
 

Filtro de Notícias

 





Busca nas Notícias