PONTUAR E TAUTOLOGIA, S.M.J.

 

Refiro-me hoje ao verbo pontuar, que entendo estar sendo mal e excessivamente usado como simples sinônimo de “enfatizar, destacar, realçar, frisar, salientar, ressaltar”. Fica muito mais elegante e correto usar um desses verbos do que “pontuar”, em frases assim:

Bonavides pontuava que a concepção política da Idade Média e da Reforma girava em torno do Poder Constituinte de Deus (omni potestas a Deo).

O verbo pontuar significa originalmente “usar/colocar/marcar com sinais de pontuação”. Com sentido figurado, também assume o significado de “assinalar, caracterizar, acompanhar, marcar, pontilhar ou separar” – mas dentro de certa sequência de tempo ou espaço, como se fossem pontos que aparecem de quando em quando. Neste último caso é comum o uso do particípio/adjetivo. Exemplos:

Ela pontuou com bela vinheta os dez quadros da apresentação.
Em discurso pontuado por ataques ao PT, o presidente nacional licenciado do PFL afirmou que a incompetência vence o medo.
A trajetória de Filipe é pontuada por uma série de coincidências.

Tautologia verbal 
Perguntaram-me se seria viciosa, por tautológica, a construção de sentenças como “concelebrar uma missa com os prelados” ou “compartilhar sua alegria com os amigos”, nas quais o “com” aparece duplamente.

Chama-se tautologia a repetição das mesmas palavras ou o uso de palavras diferentes para dizer o que já foi dito. Pode ser de significado ou de forma. No primeiro caso, configura um vício de linguagem; exemplo: “Haverá simulação nos atos quando as partes os tiverem simulado”. Já no segundo, de “forma”, não há problema: trata-se de fenômeno linguístico natural, de evolução regencial.

Quando se analisa a regência preposicional, dentro da regência verbal, pode-se observar um condicionamento morfossemântico entre prefixos e preposições, isto é, o prefixo da palavra regente volta sob a forma de preposição. Assim, por exemplo, de “celebrar com” e “partilhar com” tem-se a evolução para concelebrar com e compartilhar com. Do mesmo modo, temos: acorrer a, compactuar com, contemporizar com, conviver com, derivar de, embarcar em. Isso ocorre também com alomorfia (variação de forma), como em “cúmplice com, incluir em, implicar em, interpor entre, peregrinar por, perpassar por”  (cum-com / in-em / inter-entre / per-por).

--- O que significa a abreviação s.m.j. que tenho, ultimamente, encontrado quase sempre em pareceres. [“Este é o nosso parecer, s.m.j.”] Significaria “sem mais justificativas”? Grimaldi, Florianópolis/SC

Essas três letras são as iniciais de “salvo melhor juízo”. Juízo no sentido de entendimento, julgamento, decisão. Também podem ser grafadas em maiúsculas: “Este é parecer que submeto a V. Exa., S.M.J.” Quanto ao seu uso e significado, é o seguinte: o parecerista redige aquilo que entende ser o ideal e apropriado; mas, num gesto de elegância, faz essa ressalva visando deixar a pessoa que lhe pediu o parecer à vontade para decidir de maneira contrária à apresentada.

Maria Tereza de Queiroz Piacentini - Diretora do Instituto Euclides da Cunha e autora dos livros "Só Vírgula", "Só Palavras Compostas" e "Língua Brasil - Crase, pronomes & curiosidades" - www.linguabrasil.com.br

 
0 Comentários